• 23 MAR 18
    • 6
    Meralgia Parestésica

    Meralgia Parestésica

    Esta doença foi descrita por um neuropatologista alemão, Martin Bernhardt (1844-1915), em 1878, mas foi Wladimir Karlovich Roth (1848-1916), um neurologista russo, que cunhou o termo “meralgia”.

    A palavra “meralgia” vem de duas palavras gregas, “meros” que significa parte e “algos” que significa dor. Parestesia significa um distúrbio de sensações (formigamento, picada, queimação, anestesia); também vindo do grego “para” que significa funcionamento desordenado ou anormal e “esthesia” que significa sensibilidade.

    A Meralgia Parestésica é uma mononeuropatia – uma condição clínica que resulta da compressão de um nervo, o  cutâneo femoral lateral, na região inguinal (virilha). Este nervo é responsável pela sensibilidade da porção anterolateral (frente e lado) da coxa. Suas principais manifestações são sensações cutâneas (da pele) como dormência, formigamento, queimação, frio e dor nesta região da coxa. Além disso, há redução da sensibilidade e hipersensibilidade ao toque na região afetada.

    l1l2l32

    É uma doença relativamente comum, provocada por fatores que predisponham à compressão do nervo ao nível do ligamento inguinal, que ocorre em indivíduos obesos, em mulheres grávidas, no uso de roupas apertadas na cintura. Os atletas também são sujeitos ao desenvolvimento da meralgia parestésica devido aos movimentos repetitivos de flexão e extensão do quadril.

    A parestesia pode ocorrer devido a vários fatores, entre eles:

    Fatores mecânicos (roupa apertada, cintos, obesidade e gravidez);

    Desordens que afetam o Sistema Nervoso Central (derrame e ataque isquêmico transitório (conhecidos por mini-derrames), esclerose múltipla, mielite transversa, encefalite, etc);

    Síndromes em que há o pinçamento do nervo (compressão);

    Trauma (pós-cirúrgico do quadril, da região abdominal e inguinal; relacionado a plexopatia devido a hemorragia; lesões musculares ou traumatismos repetitivos).

    1472b23ffd6ccf0f8507c9b7ebd4fa33

    Os principais sintomas são a dormência (anestesia), formigamento, picadas ou coceira de forma intermitente. Também é comum queimação, ou frio, na superfície anterolateral da coxa (frente e lado), desde o quadril até o joelho, resultante da compressão do nervo cutâneo femoral lateral; dor recorrente frequente, às vezes sentida como uma dor muscular profunda. Pode haver perda de pelos no local e a posição pode agravar os sintomas. Pode ocorrer piora quando se estende o quadril e pacientes podem sentir dificuldades para ficar ereto ou para dormir.

    O diagnóstico será feito em consulta médica com seu especialista, onde ele avaliará sua coxa e quadril. Também podemos lançar mão de exames de imagens como Radiografia (raio-X) do quadril e região pélvica, Ultrassonografia e Ressonância para avaliar musculatura e partes moles ao redor da articulação; e a Eletroneuromiografia, para excluir a possibilidade de outras patologias caso o diagnóstico não seja claro.

    E114A

    O primeiro passo no Tratamento é a remoção da causa da compressão. Na maioria dos casos o manejo é feito conservadoramente, com fisioterapia, acupuntura, redução de peso (diminuindo circunferência abdominal), uso de roupas folgadas e medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios (quando indicados).

    Quando estes não resolvem, o tratamento intervencionista minimamente invasivo é indicado; como agulhamento seco dos trigger points (pontos-gatilho) que podem estar causando compressão no nervo, bloqueio diagnóstico utilizando anestésicos locais fornecem alívio temporário, radiofrequência pulsada no nervo cutâneo lateral da coxa; bloqueio anestésico com corticosteróides (anti inflamatórios hormonais) repetidos em dias alternados.

    E, se tudo falhar, o último degrau de tratamento é a cirurgia, com a descompressão local do nervo por uma neurólise.

     

    Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby featherDeixe um Comentário →
  • Postado por Alexsandro on 25 de janeiro de 2019, 06:13

    No caso se todos os sintomas forem identicos porém na parte frontal da cocha séria a mesma coisa ??

    Responder →
    • Postado por Marcio Cavalcanti on 14 de abril de 2019, 11:39
      em resposta à Alexsandro

      Bom dia.
      A característica da doença está relacionada à região lateral da coxa, por comprimir o nervo responsável por essa região. Na parte frontal o nervo seria diferente, poderia ocorrer a compressão, mas não seria a Meralgia.

      Responder →
  • Postado por Leila on 28 de junho de 2019, 14:41

    Tenho sentindo muitos incômodos relacionados a formigamentos e queimação na coxa direita,a sensação é como se eu fosse perde o sentido das minhas pernas e não mais senti-las como o de costume, além disso esses sintomas aparecem sempre quando estou dormindo, fazendo com que eu acorde rapidamente e apreensiva sem saber o que fazer fora as massagens diretas na parte que queimam.

    Responder →
  • Postado por Leila on 28 de junho de 2019, 14:43

    Qual o médico especialista indicado devo procurar para fala do meu problema, visto que nem todos tratam do mesmo assunto?

    Responder →
  • Postado por Monica Saraiva Sanches on 11 de julho de 2019, 15:45

    Boa tarde!
    Comecei em 2016 com uma.dor corante e queimando na parte superior da coxa na época fui ao angiologista fiz exames eco super deu tudo ok, tomei a remédio o a dor passou , há 1 mês atrás tomei a vacina da gripe fiquei resfriada e a dor retornou, sendo que agora todos os dias estou sentindo, costuma ser mais quando deito e a noite e tão forte que meu coração dispara parece que estou com uma doença e derrepente passa , faço acompanhamento de fibromialgia. Se puder me ajudar não sei qual especialidade medica procurar e preciso que seja no hospital público.
    Tenho problemas na coluna lembrar, cervical e tendinite no quadril.
    Muito grata Mônica

    Responder →
  • Postado por Monica Saraiva Sanches on 11 de julho de 2019, 15:45

    Boa tarde!
    Comecei em 2016 com uma.dor corante e queimando na parte superior da coxa na época fui ao angiologista fiz exames eco super deu tudo ok, tomei a remédio o a dor passou , há 1 mês atrás tomei a vacina da gripe fiquei resfriada e a dor retornou, sendo que agora todos os dias estou sentindo, costuma ser mais quando deito e a noite e tão forte que meu coração dispara parece que estou com uma doença e derrepente passa , faço acompanhamento de fibromialgia. Se puder me ajudar não sei qual especialidade medica procurar e preciso que seja no hospital público.
    Tenho problemas na coluna lembrar, cervical e tendinite no quadril.
    Muito grata Mônica

    Responder →

Deixe um Comentário

Cancelar Comentário

Photostream

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather