• 10 AGO 18
    • 1
    Espondilolistese

    Espondilolistese

    A terminologia Espondilolistese, deriva do grego (spondylo = coluna/ olisthesis = escorregamento), e tem como principal característica o escorregamento de um corpo vertebral sobre o corpo vertebral abaixo, ou seja, de uma vértebra sobre a vértebra seguinte.

    Resultado de imagem para LISTESE

    A principal causa de escorregamento é o processo degenerativo dos discos. No entanto, outros fatores podem colaborar para esse escorregamento, que causa Espondilolistese: Crianças e jovens em fase de crescimento (no período do “estirão do crescimento” mais comumente), atletas com atividades físicas que realizam hiperextensão, estresse por trauma de repetição, pacientes que fizeram procedimento cirúrgico na coluna, atletas que praticam atividades físicas repetitivas, traumas – quedas e acidentes, fratura na parte posterior da coluna (local em que uma vértebra se ancora na outra).

    Existem 5 tipos de listese, ou escorregamentos de vértebra:

    1. Displásica: de natureza congênita, atinge  a parte superior do sacro ou do arco da L5
    2. Ístmica:  por fratura no istmo vertebral
    3. Degenerativa: devido a degeneração do disco, relacionada ao processo natural de envelhecimento
    4. Traumática: decorrente de algum tipo de trauma na coluna vertebral
    5. Patológica: como resultado de uma patologia da coluna

    E eles podem ser anteriores (a anterolistese, quando a vértebra superior desvia para frente) e posterior (a retrolistese, desvio para trás), além disso acometem mais frequentemente a região Cervical e Lombar. Os escorregamentos de vértebra, ou listeses, variam do grau 1 ao grau 5, de acordo com o nível de escorregamento em que se encontra a vértebra:

    • Grau 1: de 0 a 25%
    • Grau 2: de 25% a 50%
    • Grau 3: de 50% a 75%
    • Grau 4: de 75% a 100%

    A espondilolistese de grau 5 é chamada de ptose vertebral – nesse caso a vértebra se encontra completamento fora de nível.

    Resultado de imagem para LISTESE

    A espondilolistese, dependendo do tipo e do grau, costuma apresentar como sintomas dor no nervo ciático, claudicação neurogênica (mancar), perda de força, sensação de peso nas pernas, alteração de sensibilidade, dormência dos membros inferiores. Além disso, o atrito de uma vértebra sobre a outra pode levar ao desgaste do disco (gerando discopatias ou estenose do canal vertebral).

    Os medicamentos utilizados para espondilolistese são sintomáticos como analgésicos e anti-inflamatórios. Não há tratamento medicamentoso para o prevenir o escorregamento em si. Nos casos mais graves de escorregamento ou nos quais o paciente tem dor refratária ao tratamento conservador como através de uso de medicamentos e fisioterapia, podem ser indicados procedimentos ambulatoriais ou cirúrgicos. Nos casos de espondilolistese associada à dor lombar e/ou radicular (aquela que irradia para os membros inferiores) é possível utilizar artifícios como bloqueios para alívio da dor precedendo o tratamento fisioterápico.

    Resultado de imagem para artrodese lombar

    Para prevenir a Espondilolistese usamos exercícios de estabilização da coluna, como pilates e musculação. Além disso, outras medidas simples também podem colaborar com a prevenção, como a perda de peso.
    Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby featherDeixe um Comentário →
  • Postado por Smithf236 on 6 de outubro de 2018, 20:28

    Usually I do not read writeup on blogs, nevertheless I wish to say that this writeup extremely forced me to take a look at and do so! Your writing taste has been amazed me. Thanks, really wonderful post. ecdbgekddakebcgg

    Responder →

Deixe um Comentário

Cancelar Comentário

Photostream

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather