• 30 AGO 19
    • 0
    Lesão S.L.A.P.

    Lesão S.L.A.P.

    A lesão do tipo SLAP foi inicialmente descrita na década de 1990, sendo uma patologia relativamente recente; bastante comum em atletas, principalmente aqueles que trabalham com arremesso (como lutas, voleibol, basquetebol, handebol e outros), sendo muitas vezes pouco diagnosticada. A sigla SLAP vem do inglês e significa: Superior Labrum Anterior and Posterior, que se traduziria por lesões do lábio glenoidal superior de anterior para posterior. Ocorre mais comumente por forças de tração ou tensão no braço, ou de movimentos de arremesso repetitivos acima do nível do ombro.

    wagner2-300x200-e1472511327589

    O labrum é um tecido fibrocartilaginoso que margeia a borda da glenóide, aumentando assim a sua área e mantendo a estabilidade do ombro, na sua porção superior, onde se origina o tendão do cabo longo do bíceps (tem seu início dentro do ombro), esse “arrancamento” causa dor e muitas vezes ele ocorre com uma lesão parcial do tendão do bíceps, o que piora os sintomas de dor. Muitas vezes o paciente apresenta um trauma inicial que pode melhorar, mas que impede que o paciente volte a praticar suas atividades esportivas ou diárias. A dor no repouso, muitas vezes é pequena e até ausente, o que ajuda a retardar o diagnóstico.

    Glenide

    A lesão SLAP é de difícil diagnóstico e por muitos anos passou despercebida, pois em geral não aparece em exames de ultrassonografia, o resultado desses exames é pobre podendo ter como resultado derrame, inflamação ou até normalidade. Atualmente a Ressonância Magnética tem mostrado bons resultados, mas por muito tempo a Artroressonância foi o exame de escolha (ressonância magnética com contraste injetado no ombro), nesse exame era possível fazer diagnóstico de algumas lesões de labrum.

    LesC3A3o-Slap

    Inicialmente deve-se tentar o tratamento conservador, com o uso de medicação e fisioterapia, apesar de não ocorrer a cicatrização da lesão. Hoje as lesões possuem menos indicação cirúrgica, principalmente aquelas lesões menos graves (graus I e II), e mesmo assim a conduta cirúrgica mais aceita hoje em dia não é a reinserção da lesão, mas a tenodese com Bíceps (retirada do cabo longo do bíceps da inserção no labrum e reinserção em outro local), tirando a sobrecarga do labrum dessa forma.

    WhatsApp Image 2019-08-02 at 10.20.00

    Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby featherDeixe um Comentário →

Deixe um Comentário

Cancelar Comentário

Photostream

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather